Estudos de viabilidade para a ampliação de uma mina de calcário

As pesquisas arqueológicas sistemáticas da Região de Arcos/Pains foram iniciadas na década de 1970 pelas equipes do Instituto de Arqueologia Brasileira-IAB sob a Coordenação do arqueólogo Ondemar Dias, por meio de uma sequência de Projetos.  As primeiras visitas feitas à região foram através do Programa Nacional de Pesquisas Arqueológicas - PRONAPA. Após sua conclusão, em 1970, foi organizado pelo IAB o “Programa de Pesquisas Arqueológicas no Vale do Rio São Francisco Mineiro” (PROPEVALE), que se estendeu até o final dos anos oitenta e objetivava o conhecimento extensivo do Vale. Foi ele complementado pelo “Programa Grutas Mineiras” com escavações nas principais grutas identificadas pelos Programas anteriores e que se estendeu até o final do século passado.

 

A necessidade de estudos de viabilidade para a ampliação de uma mina de calcário na região, possibilita novas investigações e é motivo de alegria e felicidade para o Professor Ondemar Dias, agora com sua nova equipe, que já nas primeiras intervenções localizaram dois novos sítios, os quais em breve serão divulgados.

Ao longo de décadas de trabalho na região, inúmeros sítios foram pesquisados e três Tradições Ceramistas identificadas através de diversas Fases arqueológicas estudadas. Assim como também efetivada profunda e complexa documentação dos sítios com sinalações rupestres ao longo do Vale.

A Tradição Sapucaí caracterizada por extensos sítios e grandes urnas funerárias de formas alongadas e hiperbólicas se estende por todo o Sul de Minas e predomina sobre as outras duas Tradições ceramistas.

Urnas da Tradição Sapucai

 A Tradição Una, presente na região, foi localizada na localidade de Iguatama, sendo o sítio Buracão dos Bichos, de Pihumy, o referencial para esse grupo na região. Os outros são Sítios de menor extensão e geralmente associados a cavernas, apresentando acervos mais variados do que àqueles vinculados aos das duas demais Tradições.

Fragmentos de peças cerâmicas da Tradição Tupiguarani

A Tradição Tupiguarani se faz presente, com sua tradicional cerâmica decorada, em alguns poucos sítios da região vizinha.

O mais interessante sítio da localidade de Arcos foi registrado por Ondemar Dias conforme nos informa a Ficha de Registro do CNSA e à época do registro ficava a 50 metros da sede da Fazenda Posse Grande, onde hoje resta apenas pasto e pequena mata em seu entorno.       

Nome do sítio: Sítio Corumbá

Outras designações e siglas: MG-SF-21

CNSA: MG00121

Município: Arcos

UF: MG

Descrição sumária do sítio: Paredão calcário a 50m da sede e a 5m de altura sobre a estrada. Pinturas em ocre, vermelho e preto, naturalistas e estilizadas. A 2,5m do solo, com 3m de altura e 10m de extensão.

Descobertas posteriores na região revelaram uma importante indústria lítica de pontas de flechas desenvolvida por caçadores-coletores, que aqui viveram em períodos anteriores a seis mil anos, as quais foram sucedidas pelas Tradições ceramistas supracitadas.

Pontas de Projeteis da Tradição de Caçadores – coletores do planalto Artefatos de seixo dos grupos pré-históricos das Tradições locais (“Una”, Sapucai” e Tupiguarani). Peças cerâmicas da Tradição Una (Fase Piumhi).