NOTA DE ESCLARECIMENTO sobre Divino de Oliveira

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Frente às noticias divulgadas na Internet a respeito do afastamento do arqueólogo Divino de Oliveira das suas funções nos SERVIÇOS DE PROCESSAMENTO DE MATERIAL ARQUEOLÓGICO RESGATADO NA FASE 1 DO PORTO MARAVILHA, o Instituto de Arqueologia Brasileira vem a público esclarecer que:

Primeiro – Foi o citado arqueólogo que por livre e espontânea vontade pediu a demissão no Projeto acima citado e o seu desligamento do cargo de Vice-Presidente que exercia na nossa instituição desde 2012;

Segundo – Que o fez por não concordar com o sistema técnico-administrativo adotado pelo Instituto no desenvolvimento daqueles Serviços que deixou claro em reunião de Diretoria do dia 06 de março último, na presença de todos os diretores, classificou de ultrapassados e retrógrados;

Terceiro – Admoestado, recusou-se a aceitar e colocar em prática parte dos procedimentos técnicos do processamento e seleção do material a serem  adotados através do Protocolo Geral  denominado “Orientações – Uma Proposta de Cadeias Operatórias”  de nossa autoria, como responsáveis pelos trabalhos perante o IPHAN e os empreendedores;

Quarto – Que, enfim, temos que admitir já  vinha apresentando nos últimos tempos franca oposição às metodologias de pesquisas do IAB consagradas pela larga experiência de 54 anos, criticando-as sistematicamente e considerando-as inadequada aos tempos atuais. Mostrando-se nitidamente influenciado por outras perspectivas de pesquisa de campo a que chama de abordagens modernas, com as quais não concordamos em sua maioria, essencialmente por sermos Instituição de Pesquisas Arqueológicas e não uma empresa de escavações arqueológicas.  

Quinto – Que, apesar das divergências de pontos de vista, todas, aliás, podendo ser consideradas normais de maneira geral (pensar diferente faz parte da Ciência!); e não concordar sempre com a orientação do Pesquisador Principal, não afetavam sobremaneira o desenvolvimento técnico-cientifico dos trabalhos.  Assim sendo em nenhum momento esperávamos adotasse ele uma posição como aquela que nos surpreendeu na seqüência dos acontecimentos; 

Sexto – Seu pedido de demissão foi apresentado durante uma reunião proposta pelo Diretor Presidente em que se discutiam soluções para algumas discrepâncias de produção entre as equipes envolvidas no Projeto acima supracitado. Discrepâncias, aliás, denunciadas pelo mesmo arqueólogo na reunião de Diretoria ocorrida no dia 06 de março. As soluções propostas, no entanto, foram veementemente criticadas e rejeitadas pelo mesmo, culminando no seu pedido de afastamento do Instituto tanto do seu papel profissional quanto do seu cargo administrativo como vice- presidente do IAB. Abaixo reproduzimos os textos a nós encaminhados por e-mail.

“ Ilmo. Sr. Dr. Ondemar Dias presidente do Instituto de Arqueologia Brasileira -IAB, venho através deste venho comunicar a vossa senhoria que por motivos pessoais, a partir da presente data 12/03/2015 eu Divino de Oliveira estou pedindo o meu desligamento do cargo de Vice-Presidente desta Instituição. Sem mais agradeço pela compreensão. “

“ Ilmo Sr. Dr. Ondemar Dias presidente do Instituto de Arqueologia Brasileira, venho através deste comunicar a vossa senhoria que eu Divino de Oliveira, Arqueólogo pesquisador responsável pela pesquisa de campo no projeto Processamento de Material Arqueológico Resgatado na Fase 1 do Porto Maravilha, comunico que por motivos pessoais a partir de 12/03/2015 estou me desligando deste projeto. Sem mais, abraços do amigo de sempre.”

Sétimo - Não foi, portanto, com alegria que aceitamos seu pedido, oficializado no mesmo dia da Reunião, sobretudo considerando a importância da sua história e sua trajetória institucional. De forma que auguramos sinceramente se encontre onde possa, segundo sua própria vontade e sem a necessidade de obedecer a regras, exercer as funções que tão bem desenvolveu entre nós durante anos, antes da “nova posição técnico-cientifica” agora adotada por ele.

Mas para a tranqüilidade de todos esclarecemos que o fato foi de imediato comunicado ao IPHAN que aceitou as modificações que propusemos na equipe, de forma que o trabalho continua seguro e tranqüilo.         

Esclarecemos, ainda, que o que mais nos surpreendeu foi a notícia, por ele mesmo publicada em sua rede social, de que já se encontrava empregado na tarde no mesmo dia em que se afastou da nossa equipe. Em suas próprias palavras: “Depois de meio dia estressante com a perda do emprego e meio dia de trabalho em um novo emprego nada melhor como uma boa cerveja com amigos para relaxar. Deus existe. Obrigado meu Deus.”

Não gostaríamos de pensar que houve uma ação premeditada. Ação essa que explicaria todas as desarmonias promovidas nos últimos tempos. Não! Terminantemente nos recusamos aceitar tal hipótese, por se tratar, sem dúvida, de um comportamento que não se coaduna com sua honestidade e ética profissional praticada entre nós em quase 40 anos de convivência.

Fica o registro para o bem da verdade.                   

      Diretoria Executiva do IAB