Transolímpica – Projeto para Contextualização Arqueológica Etno-Histórica, Prospecção Interventiva e Educação Patrimonial

O corredor viário Transolimpica atravessou trechos densamente povoados desde épocas pretéritas. Ocupações vinculadas aos grupos sambaquieiros, na região da Barra da Tijuca - bem como assentamentos humanos integrantes do período colonial e pós-colonial - estabeleceram-se nas áreas férteis e favoráveis ao estabelecimento da economia agrícolas comuns ao período – os Engenhos e Fazendas.

Alguns destes vestígios podem ter sido identificados, visto o registro de três sítios arqueológicos na área diretamente impactada do empreendimento: Jardim da Saudade I e II e Sítio do Botto.

Para que pudessem fornecer maiores informações a respeito deste passado foram recomendadas escavações mais intensivas visando colaborar com a arqueologia e a história local.

Diante das evidências identificadas com a Prospecção Arqueológica concluiu-se pelo alto potencial arqueológico da área. Desta forma, considera-se, necessário o desenvolvimento de um Programa de Resgate Arqueológico, conforme estabelecido na Portaria IPHAN 230/2002, enquadrado nos parâmetros da Portaria IPHAN 07/1988.

O mesmo deverá abranger tanto o Resgate dos sítios identificados, bem como o monitoramento arqueológico tanto nos trechos em que não puderam ser prospeccionados nesta etapa de pesquisa, quanto naquelas em que se encontravam até o presente momento, ocupadas.

A Pesquisa Arqueológica  Educação Patrimonial