Alunos do CIEP 175 Realizam Visita Extensiva ao IAB

Na véspera do aniversário de 55 anos do IAB, 28 de abril de 2016, alunos do primeiro ano do ensino médio do CIEP 175 – José Lins do Rego realizaram uma visita extensiva em nossa sede, atendendo a um projeto idealizado pelo SESC São João de Meriti-RJ para estes estudantes.

A visita ao IAB, como sempre, foi organizada pedagogicamente tomando por base as etapas do psicodrama. 

Sendo o primeiro momento o aquecimento inespecífico, que tem como proposta a circulação das energias corpóreas para a potencialização do aprendizado, foram convidados a um descontraído bate-papo sobre a história de um instituto de pesquisas na Baixada Fluminense, no caso, o IAB, com a arqueóloga Jandira Neto, cumprindo-se em seguida o roteiro pré-estabelecido.

Como aquecimento específico o grupo foi apresentado ao Sítio Jatobá, localizado no jardim do anexo 7 do IAB, onde vestígios arqueológicos de uma casa da década de 1930 foram encontrados quando da aquisição do terreno. A descoberta é amplamente utilizada para apresentar aos estudantes e demais interessados a temática da arqueologia como ciência. Num importante momento de fazer experenciar ou de propor vivenciar, dentro do viés pedagógico do psicodrama, um determinado papel no contexto, foi lançada a proposta: “seja você o arqueólogo e me diga o que está vendo aqui”. Essa interatividade com um sítio arqueológico real entusiasmou o grupo que, bastante animado e sentindo-se altamente valorizado foi se manifestando com toda a criatividade típica da adolescência. Após este significativo momento foram conduzidos aos demais espaços. Partindo dos conhecimentos pré-existentes para incluir novas informações, conheceram uma pequena lagoa natural, resquício de uma antiga lagoa pré-histórica que existiu na região em eras passadas. 

 

Reconheceram árvores pelos seus nomes científicos, bem como de onde são originárias.

Na exposição ao ar livre “O Índio no Recôncavo da Guanabara” aprenderam sobre as tradições culturais indígenas do nosso país e a se identificarem geneticamente com esses ancestrais, o que provocou grande burburinho e muita pergunta sobre sua evolução cultural e tecnológica.

 

Na área dos alojamentos para alunos e pesquisadores conheceram a sustentabilidade do instituto no que diz respeito ao processo de reciclagem do lixo, aqui desenvolvido em todas as suas fases; desde a sua classificação entre orgânicos e inorgânicos até o seu reaproveitamento.

O Eco Museu da Tipografia Laemmert, formado pelo material arqueológico de grande porte encontrado na Rua dos Inválidos no Centro da Cidade do Rio de Janeiro e trazido como acervo para guarda nas instalações do instituto, foi outra grande novidade que os entusiasmou. Afinal estavam diante da réplica de parte de uma das primeiras e maiores tipografias do Rio de Janeiro montada com o material original!

 

Por fim foram levados para conhecerem os espaços destinados às pesquisas de laboratório e aos prédios de guarda do material arqueológico, bem como a rica biblioteca que também dispõe de incontáveis tesouros culturais.

No espaço do laboratório onde está sendo realizada a curadoria de um extraordinário acervo resgatado na Região Norte do Brasil, interagiram com pesquisadores do IAB, donde surgiram mais indagações e muitas curiosidades, sendo satisfatoriamente respondidas.

O Instituto de Arqueologia Brasileira agradece a visita e compartilha com todos a alegria de ter a oportunidade de cumprir um dos seus mais valiosos pilares: a divulgação da arqueologia brasileira,  já em expectativa de próximas.

Equipe do Instituto de Arqueologia Brasileira para este evento:

Jandira Neto, Diego Lacerda e Regina Nascimento

 

 

 

 

 

Na véspera do aniversário de 55 anos do IAB, 28 de abril de 2016, alunos do primeiro ano do ensino médio do CIEP 175 – José Lins do Rego realizaram uma visita extensiva em nossa sede, atendendo a um projeto idealizado pelo SESC São João de Meriti-RJ para estes estudantes.

A visita ao IAB, como sempre, foi organizada pedagogicamente tomando por base as etapas do psicodrama.

Sendo o primeiro momento o aquecimento inespecífico, que tem como proposta a circulação das energias corpóreas para a potencialização do aprendizado, foram convidados a um descontraído bate-papo sobre a história de um instituto de pesquisas na Baixada Fluminense, no caso, o IAB, com a arqueóloga Jandira Neto, cumprindo-se em seguida o roteiro pré-estabelecido.

Como aquecimento específico o grupo foi apresentado ao Sítio Jatobá, localizado no jardim do anexo 7 do IAB, onde vestígios arqueológicos de uma casa da década de 1930 foram encontrados quando da aquisição do terreno. A descoberta é amplamente utilizada para apresentar aos estudantes e demais interessados a temática da arqueologia como ciência. Num importante momento de fazer experenciar ou de propor vivenciar, dentro do viés pedagógico do psicodrama, um determinado papel no contexto, foi lançada a proposta: “seja você o arqueólogo e me diga o que está vendo aqui”. Essa interatividade com um sítio arqueológico real entusiasmou o grupo que, bastante animado e sentindo-se altamente valorizado foi se manifestando com toda a criatividade típica da adolescência. Após este significativo momento foram conduzidos aos demais espaços. Partindo dos conhecimentos pré-existentes para incluir novas informações, conheceram uma pequena lagoa natural, resquício de uma antiga lagoa pré-histórica que existiu na região em eras passadas.

Reconheceram árvores pelos seus nomes científicos, bem como de onde são originárias.

Na exposição ao ar livre “O Índio no Recôncavo da Guanabara” aprenderam sobre as tradições culturais indígenas do nosso país e a se identificarem geneticamente com esses ancestrais, o que provocou grande burburinho e muita pergunta sobre sua evolução cultural e tecnológica.

Na área dos alojamentos para alunos e pesquisadores conheceram a sustentabilidade do instituto no que diz respeito ao processo de reciclagem do lixo, aqui desenvolvido em todas as suas fases; desde a sua classificação entre orgânicos e inorgânicos até o seu reaproveitamento.

O Eco Museu da Tipografia Laemmert, formado pelo material arqueológico de grande porte encontrado na Rua dos Inválidos no Centro da Cidade do Rio de Janeiro e trazido como acervo para guarda nas instalações do instituto, foi outra grande novidade que os entusiasmou. Afinal estavam diante da réplica de parte de uma das primeiras e maiores tipografias do Rio de Janeiro montada com o material original!

Por fim foram levados para conhecerem os espaços destinados às pesquisas de laboratório e aos prédios de guarda do material arqueológico, bem como a rica biblioteca que também dispõe de incontáveis tesouros culturais.

No espaço do laboratório onde está sendo realizada a curadoria de um extraordinário acervo resgatado na Região Norte do Brasil, interagiram com pesquisadores do IAB, donde surgiram mais indagações e muitas curiosidades, sendo satisfatoriamente respondidas.

O Instituto de Arqueologia Brasileira agradece a visita e compartilha com todos a alegria de ter a oportunidade de cumprir um dos seus mais valiosos pilares: a divulgação da arqueologia brasileira,  já em expectativa de próximas.

Equipe do Instituto de Arqueologia Brasileira para este evento:

Jandira Neto, Diego Lacerda e Regina Nascimento

Posts Relacionados