Estudantes de três cidades participam do Programa Bem Vindo ao Mundo da Arqueologia!

Com o aporte da Caixa Cultural IAB recebe estudantes de três escolas de cidades distintas...

Os dias 19 e 20 de outubro de 2017 foram de muita agitação com a presença em nossa sede de alunos das escolas Instituto de Educação Rosa e Silva, de Belford Roxo e Escola Municipal Marcílio Dias de Nova Iguaçu, convidadas pelo Instituto de Arqueologia Brasileira-IAB, e a sorteada pela fan page da instituição na rede social Facebook, o Colégio Estadual Vinícius de Morais, de Duque de Caxias.

Estudantes entre 4 e 17 anos participaram das diversas atividades desenvolvidas pelo Programa “Bem Vindo ao Mundo da Arqueologia”; desde o aquecimento inespecífico (atividades físicas para uma melhor recepção intelectiva) …

…à dedicada atenção sobre aspectos da evolução das primeiras populações humanas que habitaram nosso território e seus encontros com os colonizadores, demonstrados pela “camada estratigráfica” ou Exposição “O Índio no Recôncavo da Guanabara”.

A concentração era total na busca entusiasmada por artefatos no mini sítio arqueológico… 

….na deliciosa atividade da pintura rupestre e…

… no breve histórico, em vídeo, sobre as inúmeras imagens desenhadas nas rochas e interpretações sobre possíveis mensagens que os seus autores desejavam transmitir a partir delas.

     

 Na área museal o espanto ao primeiro contato com o corpo mumificado de uma menina de aproximadamente 10 anos – a múmia Acauã . Momento em que a curiosidade juntou-se ao espanto e as perguntas brotaram.

Atenção também nos conhecimentos mais elaborados como enterramentos secundários em urnas e informações sobre um Povo que se organizou alcançando níveis de desenvolvimento tecnológico avançadíssimos, há cerca de prováveis 12 mil anos, que, entre outras, dominava as técnicas da agricultura e manufatura do algodão tecendo com agulhas feitas de ossos e habitando em cavernas no interior de Minas Gerais.

Generosa atenção que também era dispensada para as explicações sobre o que são sítios arqueológicos, os patrimônios culturais que são salvaguardados a partir das pesquisas destes, equipamentos e ferramentas próprias para seus resgates e as leis que os protegem, usando como exemplo o sítio histórico localizado dentro do próprio espaço do IAB.

Uma passadinha pela área de compostagem aonde o lixo orgânico é reciclado,  uma visita ao Ecomuseu, abrigo de estruturas que sustentaram máquinas de uma das três primeiras tipografias do Brasil, marcos da revolução industrial por aqui, e os espaços que abrigam os milhões de artefatos salvaguardados pelo IAB…

 

 

…e, por fim, material didático para futuras referências.

 

Achei interessante saber a forma que os indígenas se alimentavam”, diz Ana Clara, 12 anos.

“Achei muito legal! Bom, bonito e grande!“, é a opinião de Sarah, 11 anos.

O estagiário Professor Bruno Mendonça opina: “o William fez uma apresentação excelente sobre a arqueologia da Pré-história. Muito bom mesmo! Meus parabéns! O Alessandro foi excelente em sua explicação sobre a cultura indígena antiga. Meus parabéns a todos!”

A professora Márcia Camilo da Escola Marcílio Dias achou que “o passeio foi proveitoso. Era um local novo, tanto para os professores quanto para os alunos. A organização em grupo e os monitores contribuíram para o melhor entendimento dos alunos, pois a maioria deles é do sexto ano. Sugestão: melhor sinalização do local. Placas sinalizando o local.”

A Professora Talita O. Costa das turmas do sexto e sétimo anos pontuou: “entre as apresentações das camadas estratigráficas, o vídeo sobre a pintura rupestre e o sítio Jatobá a que mais aguçou a curiosiodade foram as camadas. Tanto no sítio, quanto em contato com as peças, os alunos fizeram perguntas e demonstraram muito interesse. O vídeo não teve o mesmo impacto, pois apresentou classificação integral. Percebi que eles não conseguiram acompanhar. Particularmente achei a linguagem difícil, o que não aconteceu nas outras etapas quando os monitores apresentaram muitos exemplos. Observação: o acesso ao IAB ficou muito complicado devido à falta de sinalização.”

Agradecemos imensamente às escolas por terem aceito nossos convites, em especial aos professores que fizeram observações absolutamente pertinentes às quais vamos considerar e quanto à sugestão de sinalização providenciaremos ofício para a Prefeitura solicitando a sinalização oficial e esperamos que os estudantes possam se apropriar destes conhecimentos e aplicarem em prol da preservação de nossos patrimônios, objetivo maior do Instituto.

Agradecemos também a nossa equipe que, como sempre, realiza essas atividades com total dedicação e esmero.

Diretor-Presidente: Prof. Dr. Ondemar Dias

Coordenação: William Cruz

Coordenação Geral: Jandira Neto

Equipe: Soledade Neto – William Cruz – Antonia Neto – Cida Gomes – Alessandro Silva – Aldeci dos Santos – Marcos dos Santos – Anselmo dos Santos, Marilda Souza e os pesquisadores curumins Sanderson Coutinho, Júlia Araújo, Luciano França e Daniel Lima.

Texto: Antonia Neto

Fotos e vídeos: Julia Araújo, Sanderson Coutinho e Antonia Neto

                                                                                                Patrocínio Institucional:

Posts Relacionados