IAB Comemora 54 Anos da Sua Fundação!

A abertura para a celebração dos 54 anos de fundação do IAB começou com a fala da Jandira Neto comunicando os oradores e a programação geral, este ano no Galpão B da Rua da Gamboa onde se realiza o Projeto de Curadoria do Porto Maravilha.

O Professor Ondemar Dias, presidente da instituição desde 2005, foi o primeiro a se manifestar. Fez, como todo bom historiador/arqueólogo, uma volta ao passado. Contou um pouco como eram feitas as pesquisas no início da história do IAB, com todas as dificuldades advindas da ausência de recursos financeiros, as quais foram corajosamente enfrentadas e superadas pelos seus apaixonados pesquisadores. Lembrou, em especial, seu primeiro e talvez o mais articulado e entusiasmado presidente, o saudoso Professor Calazans Rodrigues. O Professor Ondemar Dias revelou que depois do Museu Nacional o IAB foi a segunda instituição a ter direito à guarda de acervo. Isto se deu em 1965 comemorando então, em 2015, 50 anos dessa conquista. Falou sobre o histórico programa na área de ensino da arqueologia brasileira que o IAB e, ele mesmo, como, por muitos anos, diretor de pesquisas, formou diversos arqueólogos através dos cursos promovidos desde os primórdios da história do IAB.

Dentre os presentes na solenidade, além de todos os funcionários e colaboradores do IAB, estava Eliana de Carvalho, ex-aluna do Professor Ondemar e pesquisadora que, por muitos anos, esteve presente na base das maiores pesquisas, há cerca de 20 anos IAB, que se manifestou emocionada ao se recordar fazendo parte de tão bonita história. Estiveram presentes também representantes de todas as Turmas (Da I a IV) do Curso de Pós-graduação em Arqueologia da Faculdade Redentor que é ministrado nas instalações da sua sede em Belford Roxo e também Simone Ribeiro, arqueóloga da Assessoria de Arqueologia do IPHAN que cumprimentou a instituição: “Gostaria de, em meu nome e em da Assessoria, dar os parabéns ao Professor Ondemar e ao IAB por esse aniversário e por todas as vitórias, as conquistas. Por todos esses trabalhos realizados ao longo de todos esses anos”. 

A Doutora Maria Cristina Vereza Lodi, arquiteta e mestra em preservação de patrimônio histórico, depois de uma breve dissertação sobre os impressionantes números da Instituição como “12.000m² quadrados de área, cerca de 1 milhão de artefatos, cerca de 3 mil pesquisadores que já passaram pelo IAB e mais de hum mil sítios pesquisados” propõe ao público uma pequena reflexão sobre este patrimônio.

Muito embora alguns desconheçam, o povo, através do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), autorizou que o IAB, ao longo dos seus 54 anos de pesquisa, resgatasse e salvaguardasse esses artefatos que contam parte da nossa História e que se encontra preservado e à disposição de quem se interesse conhecê-los, em sua sede, em Belford Roxo, Rio de Janeiro-RJ.

E assim, após essa breve conscientização de todos de que são possuidores de algo tão valioso foi então lançado, como parte das celebrações, o Programa “IAB 54 Anos  - Um Patrimônio de Todos” que se trata de conseguir apadrinhamentos, entre pessoas físicas e jurídicas, para a continuação da manutenção do mesmo, dividindo, com todos, essa responsabilidade por se tratar de uma instituição de utilidade pública. Este Programa que vai desde ações voluntárias para cuidados simples, disponibilidade de material e área para quem tenha interesse em pesquisar e publicar sobre o acervo a até valores em cifras para pagamento de suas mais diversas necessidades. Para saber mais sobre este programa acesse aqui.

O Professor Gênesis P. Torres diretor social do IAB presenteou a todos com uma verdadeira aula de História sobre os portos que existiram no Rio de Janeiro e a fundamental contribuição da Baixada Fluminense para o desenvolvimento econômico e social do Rio de Janeiro nos séculos passados. O tema foi escolhido porque, embora as comemorações fossem ser realizadas no centro do Rio de Janeiro, a sede do IAB é localizada na Baixada Fluminense celebrando simultaneamente o “Dia da Baixada” – 30 de abril.

Ao final das palestras os convidados foram conduzidos à apreciação das exposições de banners do Projeto de Arqueologia e Patrimônio Imaterial do Arco Metropolitano do Rio de Janeiro e do Projeto de Arqueologia e Educação Patrimonial do AHE-Batalha em Paracatu-MG.

Bancadas com exposições do belíssimo material do Projeto de Curadoria do Material do Porto Maravilha também puderam ser igualmente admiradas. 

Ao final, um brinde aos 54 anos comemorado com um coquetel simples no mesmo local.

 Agradecemos a todos que colaboraram e colaboram para que o IAB se mantenha como uma das maiores e principais instituições de pesquisas arqueológicas e educação patrimonial do Brasil.

 

 

 

 

A abertura para a celebração dos 54 anos de fundação do IAB começou com a fala da Jandira Neto comunicando os oradores e a programação geral, este ano no Galpão B da Rua da Gamboa onde se realiza o Projeto de Curadoria do Porto Maravilha.

O Professor Ondemar Dias, presidente da instituição desde 2005, foi o primeiro a se manifestar. Fez, como todo bom historiador/arqueólogo, uma volta ao passado. Contou um pouco como eram feitas as pesquisas no início da história do IAB, com todas as dificuldades advindas da ausência de recursos financeiros, as quais foram corajosamente enfrentadas e superadas pelos seus apaixonados pesquisadores. Lembrou, em especial, seu primeiro e talvez o mais articulado e entusiasmado presidente, o saudoso Professor Calazans Rodrigues. O Professor Ondemar Dias revelou que depois do Museu Nacional o IAB foi a segunda instituição a ter direito à guarda de acervo. Isto se deu em 1965 comemorando então, em 2015, 50 anos dessa conquista. Falou sobre o histórico programa na área de ensino da arqueologia brasileira que o IAB e, ele mesmo, como, por muitos anos, diretor de pesquisas, formou diversos arqueólogos através dos cursos promovidos desde os primórdios da história do IAB.

Dentre os presentes na solenidade, além de todos os funcionários e colaboradores do IAB, estava Eliana de Carvalho, ex-aluna do Professor Ondemar e pesquisadora que, por muitos anos, esteve presente na base das maiores pesquisas, há cerca de 20 anos IAB, que se manifestou emocionada ao se recordar fazendo parte de tão bonita história. Estiveram presentes também representantes de todas as Turmas (Da I a IV) do Curso de Pós-graduação em Arqueologia da Faculdade Redentor que é ministrado nas instalações da sua sede em Belford Roxo e também Simone Ribeiro, arqueóloga da Assessoria de Arqueologia do IPHAN que cumprimentou a instituição: “Gostaria de, em meu nome e em da Assessoria, dar os parabéns ao Professor Ondemar e ao IAB por esse aniversário e por todas as vitórias, as conquistas. Por todos esses trabalhos realizados ao longo de todos esses anos”. 

A Doutora Maria Cristina Vereza Lodi, arquiteta e mestra em preservação de patrimônio histórico, depois de uma breve dissertação sobre os impressionantes números da Instituição como “12.000m² quadrados de área, cerca de 1 milhão de artefatos, cerca de 3 mil pesquisadores que já passaram pelo IAB e mais de hum mil sítios pesquisados” propõe ao público uma pequena reflexão sobre este patrimônio.

Muito embora alguns desconheçam, o povo, através do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), autorizou que o IAB, ao longo dos seus 54 anos de pesquisa, resgatasse e salvaguardasse esses artefatos que contam parte da nossa História e que se encontra preservado e à disposição de quem se interesse conhecê-los, em sua sede, em Belford Roxo, Rio de Janeiro-RJ.

E assim, após essa breve conscientização de todos de que são possuidores de algo tão valioso foi então lançado, como parte das celebrações, o Programa “IAB 54 Anos  – Um Patrimônio de Todos” que se trata de conseguir apadrinhamentos, entre pessoas físicas e jurídicas, para a continuação da manutenção do mesmo, dividindo, com todos, essa responsabilidade por se tratar de uma instituição de utilidade pública. Este Programa que vai desde ações voluntárias para cuidados simples, disponibilidade de material e área para quem tenha interesse em pesquisar e publicar sobre o acervo a até valores em cifras para pagamento de suas mais diversas necessidades. Para saber mais sobre este programa acesse aqui.

O Professor Gênesis P. Torres diretor social do IAB presenteou a todos com uma verdadeira aula de História sobre os portos que existiram no Rio de Janeiro e a fundamental contribuição da Baixada Fluminense para o desenvolvimento econômico e social do Rio de Janeiro nos séculos passados. O tema foi escolhido porque, embora as comemorações fossem ser realizadas no centro do Rio de Janeiro, a sede do IAB é localizada na Baixada Fluminense celebrando simultaneamente o “Dia da Baixada” – 30 de abril.

Ao final das palestras os convidados foram conduzidos à apreciação das exposições de banners do Projeto de Arqueologia e Patrimônio Imaterial do Arco Metropolitano do Rio de Janeiro e do Projeto de Arqueologia e Educação Patrimonial do AHE-Batalha em Paracatu-MG.

Bancadas com exposições do belíssimo material do Projeto de Curadoria do Material do Porto Maravilha também puderam ser igualmente admiradas. 

Ao final, um brinde aos 54 anos comemorado com um coquetel simples no mesmo local.

 Agradecemos a todos que colaboraram e colaboram para que o IAB se mantenha como uma das maiores e principais instituições de pesquisas arqueológicas e educação patrimonial do Brasil.

 

 

 

 

Posts Relacionados