Projeto de Levantamento, Resgate e Monitoramento Arqueológico e Educação Patrimonial – Antigo Forte do Campinho – Rio de Janeiro – RJ- A

 

Educação Patrimonial

 

O planejamento das atividades de Educação Patrimonial tem por objetivo atender a política de valorização da nossa herança cultural.

As práticas de preservação do patrimônio, que se estabeleceram no país desde a década de 1930, enfatizavam prioritariamente o acervo edificado e arquitetônico, mas, posteriormente, passaram a abranger outros setores  passando a valorizar também múltiplos elementos diferenciados do patrimônio nacional, incluindo entre estes os aspectos naturais e paisagísticos.

Baseados nestas novas disposições e amparados pelas experiências já adquiridas pela nossa instituição, nos dispusemos então a organizar o projeto de atuação, especificamente voltado para dinamizar os resultados alcançados pelas pesquisas arqueológicas desenvolvidas na prospecção e levantamento em seis sub-áreas delimitadas para sofrerem impactos de reedificações no terreno do Antigo Forte do Campinho, assim como das pesquisas de Salvamento que foram realizadas na Área III.

Tivemos por objetivo não só a divulgação científica mas, sobretudo, a devolução consciente dos procedimentos empreendidos à sociedade local pois, tal como foi dito anteriormente, entendemos que o patrimônio cultural se refere a um conjunto complexo que inclui todos os bens materiais e imateriais resultantes da experiência de um povo ou grupo humano num determinado espaço e tempo. Assim foi que partindo deste pressuposto, organizamos então as atividades abaixo descritas que tiveram como metas tornar públicos, ainda que parcialmente, os eventos desencadeados pela pesquisa efetuada “in situ”.

O resumo dos dados obtidos foi comunicado à sociedade local, com ênfase, ainda que não exclusivamente, ao público da rede escolar do entorno com grande sucesso em termos de sua participação nos eventos promovidos entre os dias 05 e 30 de outubro de 2007, período de ocorrência das atividades.

Conforme propusemos no Projeto, iniciamos nossas atividades junto à comunidade local. O Cronograma para efetivação das atividades relativas à Educação Patrimonial foi desenvolvido para ser acoplado ao do Salvamento Arqueológico da Área III.  Assim sendo, seu planejamento e execução ocorreu entre os dias 16 de agosto e 30 de outubro de 2007.

A equipe desenvolveu e organizou interna e externamente ações como o encaminhamento do Projeto de educação patrimonial à 5ª Coordenadoria Regional de Educação (Madureira, Campinho e adjacências) solicitando fossem informadas, em tempo hábil, à rede escolar o local e o calendário das atividades, de maneira que os estudantes pudessem comparecer ao evento patrocinado pela WTORRE Engenharia e promovido pelo Instituto de Arqueologia Brasileira gratuitamente; formalizou convites aos parceiros envolvidos no processo como o Grupo de Pesquisas do Subúrbio Carioca, a Secretaria de Patrimônio da Cidade do Rio de Janeiro (SEDREPACH), aos funcionários envolvidos com a obra da empreendedora e também aos funcionários temporários do IAB. Divulgou o evento através de faixas no entorno da área do Forte; realizou pesquisas informais com moradores do entorno para obter informações sobre a construção de alguma edificação existente que correspondesse aos alicerces encontrados durante as escavações na Área III e por fim convidou personagens e instituições locais.

Iniciamos nossas atividades...

Na abertura do evento contamos com a presença de representantes da Secretaria de Patrimônio (SEDREPAHC), Eliana Carvalho, Mario Aizen e Carlos Azevedo; de Historiadores, como Nireu Cavalcanti (UFRJ), de arqueólogos, como Nídia Rodrigues e de professores e alunos das Escolas Municipais Paraná (Coordenadora Pedagógica Prof Silvia) e Rugendas, (Prof Claudia Abreu) ambas da Cidade do Rio de Janeiro.

Foram realizados estudos de elaboração da Exposição Referencial; das oficinas de apoio, da sistemática funcional, do planejamento de execução de todo o Projeto e de instalação do mesmo na área do empreendimento. Estudos históricos e documentais a respeito do passado da região focalizada, levantando-se subsídios orientadores para as atividades planejadas que visavam atender aos objetivos do processo de educação patrimonial  e que lhe deram suporte para visitas "in loco"  as áreas onde estavam sendo realizadas as escavações arqueológicas com a devida elaboração dos esquemas explicativos acessíveis ao público comum, com ênfase no colegial.

Foram realizadas duas Oficinas:

A primeira objetivou informar sobre a importância da construção do Forte no séc. XIX. Para esta foi produzido um vídeo didático com o tema :  Porque o Imperador do Brasil construiu o Forte de N. S da Gloria do Campinho em 1822, 

Assistindo ao vídeo Assistindo ao vídeo assis

acompanhado de um jogo lúdico onde, através da montagem de um lego, crianças do Ensino Fundamental da 5ª CRE,  após assistirem ao filme brincassem de “recontar” a história da construção do Forte... 

Montando o lego (o Forte) Montando o lego (o Forte) Montando o lego (o Forte)
Preparando para a invasão/defesa
Preparando para a invasão/defesa

Preparando para a invasão/defesa

......e depois compartilhassem com o grupo a experiência de lidar com a questão do Invadir o Outro Versus Ser Invadido pelo Outro.

Compartilhando a experiência Compartilhando a experiência Compartilhando a experiência

 

A Outra, a  Peneiras de Ciência é voltada para o conhecimento das atividades da arqueologia enquanto ciência produtora de conhecimento e visa dar oportunidade aos participantes de manusear artefatos arqueológicos, esses, de origem indeterminada e destinados para fins de educação patrimonial.

Oficina Peneiras de Ciências Oficina Peneiras de Ciências

 

A Exposição foi montada com material arqueológico selecionado oriundo tanto da fase de abordagem anterior, localização e prospecção, quanto da fase atual de Salvamento do sitio arqueológico. Foi acompanhada dos necessários esclarecimentos, cartazes, “banners” e fotos identificadoras.

 

O Ciclo de Palestras apresentou os aspectos evolutivos, históricos e arqueológicos do processo ocupacional da área.

Ciclo de Palestras Ciclo de Palestras Ciclo de Palestras

Oficina de Contação de histórias

 

Visitas aos locais das escavações.

 

Foi realizada a documentação filmográfica  com o registro de todas as ações desenvolvidas pela equipe de Educação Patrimonial do Instituto de Arqueologia Brasileira , o qual foi distribuído em DVD gratuitamente na rede escolar e a autoridades locais.

DVD - como devolução social DVD - como devolução social DVD - como devolução social

 

Educação Patrimonial

 

O planejamento das atividades de Educação Patrimonial tem por objetivo atender a política de valorização da nossa herança cultural.

As práticas de preservação do patrimônio, que se estabeleceram no país desde a década de 1930, enfatizavam prioritariamente o acervo edificado e arquitetônico, mas, posteriormente, passaram a abranger outros setores  passando a valorizar também múltiplos elementos diferenciados do patrimônio nacional, incluindo entre estes os aspectos naturais e paisagísticos.

Baseados nestas novas disposições e amparados pelas experiências já adquiridas pela nossa instituição, nos dispusemos então a organizar o projeto de atuação, especificamente voltado para dinamizar os resultados alcançados pelas pesquisas arqueológicas desenvolvidas na prospecção e levantamento em seis sub-áreas delimitadas para sofrerem impactos de reedificações no terreno do Antigo Forte do Campinho, assim como das pesquisas de Salvamento que foram realizadas na Área III.

Tivemos por objetivo não só a divulgação científica mas, sobretudo, a devolução consciente dos procedimentos empreendidos à sociedade local pois, tal como foi dito anteriormente, entendemos que o patrimônio cultural se refere a um conjunto complexo que inclui todos os bens materiais e imateriais resultantes da experiência de um povo ou grupo humano num determinado espaço e tempo. Assim foi que partindo deste pressuposto, organizamos então as atividades abaixo descritas que tiveram como metas tornar públicos, ainda que parcialmente, os eventos desencadeados pela pesquisa efetuada “in situ”.

O resumo dos dados obtidos foi comunicado à sociedade local, com ênfase, ainda que não exclusivamente, ao público da rede escolar do entorno com grande sucesso em termos de sua participação nos eventos promovidos entre os dias 05 e 30 de outubro de 2007, período de ocorrência das atividades.

Conforme propusemos no Projeto, iniciamos nossas atividades junto à comunidade local. O Cronograma para efetivação das atividades relativas à Educação Patrimonial foi desenvolvido para ser acoplado ao do Salvamento Arqueológico da Área III.  Assim sendo, seu planejamento e execução ocorreu entre os dias 16 de agosto e 30 de outubro de 2007.

A equipe desenvolveu e organizou interna e externamente ações como o encaminhamento do Projeto de educação patrimonial à 5ª Coordenadoria Regional de Educação (Madureira, Campinho e adjacências) solicitando fossem informadas, em tempo hábil, à rede escolar o local e o calendário das atividades, de maneira que os estudantes pudessem comparecer ao evento patrocinado pela WTORRE Engenharia e promovido pelo Instituto de Arqueologia Brasileira gratuitamente; formalizou convites aos parceiros envolvidos no processo como o Grupo de Pesquisas do Subúrbio Carioca, a Secretaria de Patrimônio da Cidade do Rio de Janeiro (SEDREPACH), aos funcionários envolvidos com a obra da empreendedora e também aos funcionários temporários do IAB. Divulgou o evento através de faixas no entorno da área do Forte; realizou pesquisas informais com moradores do entorno para obter informações sobre a construção de alguma edificação existente que correspondesse aos alicerces encontrados durante as escavações na Área III e por fim convidou personagens e instituições locais.

Iniciamos nossas atividades…

Na abertura do evento contamos com a presença de representantes da Secretaria de Patrimônio (SEDREPAHC), Eliana Carvalho, Mario Aizen e Carlos Azevedo; de Historiadores, como Nireu Cavalcanti (UFRJ), de arqueólogos, como Nídia Rodrigues e de professores e alunos das Escolas Municipais Paraná (Coordenadora Pedagógica Prof Silvia) e Rugendas, (Prof Claudia Abreu) ambas da Cidade do Rio de Janeiro.

Foram realizados estudos de elaboração da Exposição Referencial; das oficinas de apoio, da sistemática funcional, do planejamento de execução de todo o Projeto e de instalação do mesmo na área do empreendimento. Estudos históricos e documentais a respeito do passado da região focalizada, levantando-se subsídios orientadores para as atividades planejadas que visavam atender aos objetivos do processo de educação patrimonial  e que lhe deram suporte para visitas “in loco”  as áreas onde estavam sendo realizadas as escavações arqueológicas com a devida elaboração dos esquemas explicativos acessíveis ao público comum, com ênfase no colegial.

Foram realizadas duas Oficinas:

A primeira objetivou informar sobre a importância da construção do Forte no séc. XIX. Para esta foi produzido um vídeo didático com o tema :  Porque o Imperador do Brasil construiu o Forte de N. S da Gloria do Campinho em 1822, 

Assistindo ao vídeo Assistindo ao vídeo assis

acompanhado de um jogo lúdico onde, através da montagem de um lego, crianças do Ensino Fundamental da 5ª CRE,  após assistirem ao filme brincassem de “recontar” a história da construção do Forte… 

Montando o lego (o Forte) Montando o lego (o Forte) Montando o lego (o Forte)
Preparando para a invasão/defesa
Preparando para a invasão/defesa
Preparando para a invasão/defesa

……e depois compartilhassem com o grupo a experiência de lidar com a questão do Invadir o Outro Versus Ser Invadido pelo Outro.

Compartilhando a experiência Compartilhando a experiência Compartilhando a experiência

 

A Outra, a  Peneiras de Ciência é voltada para o conhecimento das atividades da arqueologia enquanto ciência produtora de conhecimento e visa dar oportunidade aos participantes de manusear artefatos arqueológicos, esses, de origem indeterminada e destinados para fins de educação patrimonial.

Oficina Peneiras de Ciências Oficina Peneiras de Ciências

 

A Exposição foi montada com material arqueológico selecionado oriundo tanto da fase de abordagem anterior, localização e prospecção, quanto da fase atual de Salvamento do sitio arqueológico. Foi acompanhada dos necessários esclarecimentos, cartazes, “banners” e fotos identificadoras.

 

O Ciclo de Palestras apresentou os aspectos evolutivos, históricos e arqueológicos do processo ocupacional da área.

Ciclo de Palestras Ciclo de Palestras Ciclo de Palestras

Oficina de Contação de histórias

 

Visitas aos locais das escavações.

 

Foi realizada a documentação filmográfica  com o registro de todas as ações desenvolvidas pela equipe de Educação Patrimonial do Instituto de Arqueologia Brasileira , o qual foi distribuído em DVD gratuitamente na rede escolar e a autoridades locais.

DVD - como devolução social DVD - como devolução social DVD - como devolução social

Posts Relacionados