Pesquisador Curumim

Por entender que o exemplo começa em casa, o Instituto de Arqueologia Brasileira não se preocupa apenas em olhar ao longe: o trabalho começa com a comunidade do entorno do Instituto na Baixada Fluminense. É graças ao Projeto Pesquisador Curumim, que muitos jovens estudantes moradores da comunidade de Vila Santa Teresa, em Belford Roxo, já receberam qualificação especializada em pesquisas arqueológicas históricas e pré-históricas.

Assim, desde que, comprovadamente, estejam cursando o ano escolar equivalente à sua idade, os bolsistas recebem fundamentação teórica em Pré-história, História, Geografia, Biologia e Astronomia; treinamento técnico nas áreas de bioarqueologia, análise de material cerâmico e lítico, estudos básicos sobre pintura rupestre e restauração de peças arqueológicas e treinamentos complementares em computação (catalogação e arquivamento de dados). Aprendem a cuidar da organização dos laboratórios e dos acervos. Para o atendimento a visitantes e comunidades escolares, os pesquisadores curumins atuam como guias de exposição e auxiliares de educação patrimonial, além de participarem da coordenação de oficinas de arte rupestre e mini- sitio arqueológico.  

veja também outras notícias